Ciência / Tecnologia: Facebook vai construir novo centro de dados de US$ 1,5 bilhão, diz jornal

Facebook vai construir novo centro de dados de US$ 1,5 bilhão, diz jornal



O Facebook está construindo um centro de dados perto de Des Moines, no estado norte-americano de Iowa, para reforçar seu poder de processamento.
Conforme lança novos serviços e o uso de smartphones cresce aumenta a pressão sobre a infraestrutura da rede social.
Este estabelecimento em Altoona, Iowa, será o quarto da empresa desde 2010, quando o Facebook iniciou a construção do primeiro centro de dados em Prineville, Oregon.

O Facebook não revelou o custo do novo centro, mas comunicou que o gasto está dentro da reserva de US$ 1,8 bilhão para despesas de capital projetada em janeiro para 2013. Uma reportagem do jornal "Des Moines Register", na sexta-feira, citando fontes não identificadas, estimou o custo total da instalação em US$ 1,5 bilhão.

A rede social comunicou ter recebido a aprovação para o centro da Câmara Municipal de Altoona, na terça-feira. Autoridades de Iowa vêm cortejando empresas de internet para construírem centros de dados no Estado, atraindo-os com incentivos fiscais.

O novo centro de dados, que será construído em um antigo terreno de campos de trigo e soja comprado pelo Facebook, surge no momento em que os mais de um bilhão de usuários da rede social acessam cada vez mais o serviço em smartphones e tablets.
O vice-presidente de engenharia do Facebook, Jay Parikh, disse que os usuários normalmente acessam o site durante todo o dia, enviando mensagens e fazendo upload de fotos. Para dar suporte a este uso contínuo, ao mesmo tempo em que mantém a capacidade de oferecer novos serviços, a rede necessita de mais infraestrutura, afirmou Parikh à Reuters, na semana passada.

"Nunca queremos não ser capazes de lançar um produto porque não temos o processamento pronto para algum novo produto incrível", disse Parikh.

A empresa planeja iniciar a construção em junho e espera que o centro de dados esteja funcionando até o final de 2014, disse o vice-presidente de operações do site, Tom Furlong.

Fonte: G1
Foto: Divulgação
Página anterior Próxima página