CIÊNCIA / TECNOLOGIA

Robôs podem ajudar no combate ao Ebola



O exército americano alistou uma nova arma assassina de micróbios no combate ao vírus Ebola: um robô com quatro rodas capaz de desinfetar um quarto em questão de minutos, emitindo raios ultravioletas.

Mais alto e fino que o famoso R2D2, da série "Guerra nas Estrelas", o robô Xenex é usado em três centros médicos militares, assim como em 250 hospitais americanos, para destruir agentes patogênicos.

Emitindo 1,5 pulsação por segundo em um perímetro de três metros, o robô usa um gás não tóxico, o xênon, para produzir raios ultravioletas que erradicam micróbios mais rápida e eficazmente do que uma equipe humana de limpeza, segundo médicos e especialistas.

"O robô atualmente faz parte da nossa estratégia para combater o Ebola, mas poderá ser usado nos hospitais para combater outros agentes patogênicos causadores de infecções" nestes recintos, informou Alton Dunham, porta-voz da base militar de Langley, que adquiriu um destes robôs.

A luz ultravioleta é usada há várias décadas como uma opção de limpeza, mas estes novos robôs funcionam com o mineral xênon, mais ecológico do que as bombas a vapor de mercúrio, que têm uma ação mais lenta e são tóxicas, segundo o Xenex Disinfection Service, que fabrica estes aparelhos de nova geração.

Seus raios ultravioleta podem desinfectar superfícies e esquinas de difícil acesso, destacou Hart. Além disso, prosseguiu, "o robô é capaz de eliminar o risco de erro humano".

O coronel Wayne Pritt, comandante do hospital da base aérea de Langley, indicou que o robô "adiciona um nível de segurança no processo de desinfecção que antes não era possível".

"No caso do Ebola, isto se traduziria em uma maior confiança dos pacientes e do pessoal" médico, afirmou o encarregado.

Fonte: MSN
Foto: Divulgação

Postagens mais visitadas