Ciência / Tecnologia: Erro em software libertou presos antes do tempo nos Estados Unidos

Erro em software libertou presos antes do tempo nos Estados Unidos



Até 3,2 mil presos do estado de Washington, nos Estados Unidos, foram liberados antes de terem terminado de cumprir a totalidade da pena desde 2002. O motivo é um erro de programação conhecido pelo órgão responsável pelos presídios há três anos. O problema foi revelado por Jay Inslee, governador do estado, em uma coletiva de imprensa no dia 22 de dezembro.

Estimativas sugerem que os presos foram liberados em média 55 dias antes do fim da pena, segundo o jornal "Seattle Times".

As autoridades estão agora tentando localizar os presos para que terminem o cumprimento da pena. Cinco já teriam voltado para a cadeia. Mas a maioria não deve voltar para a prisão, porque a lei garante um crédito em que cada dia livre vale um dia preso. Em um caso grave, um preso teve a pena reduzida em 600 dias, mas, como não chegou a ser liberado, ele não terá direito a crédito.

O erro foi introduzido em 2002 após uma decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos que decidiu que presos mereciam a redução da pena por créditos de "bom comportamento" recebidos em prisões estaduais e também em prisões de condados. O software que faz o cálculo teve de ser atualizado para levar em conta essa decisão.

Por algum motivo, porém, o programa passou a não levar em conta as restrições de certos agravantes da pena: os de agressão sexual e os portes de arma de fogo e arma letal. Conforme a legislação local, esses agravantes não estão sujeitos à redução por bom comportamento.

O problema foi comunicado pela família de um preso em 2012 e um chamado para resolver a questão foi aberto em dezembro daquele ano. Nos três anos seguintes, a correção adiada várias vezes. O software só deve ser corrigido em janeiro, após mais de 15 anos com o problema.

Uma investigação foi iniciada para descobrir o motivo dos adiamentos. Por enquanto, ninguém foi responsabilizado.

Fonte: G1
Foto: A/D
Página anterior Próxima página