Ciência / Tecnologia: Veja situações hipotéticas de como o aquecimento global afetará sua vida

Veja situações hipotéticas de como o aquecimento global afetará sua vida



A realidade da mudança climática começa a se fazer sentir e muitos já fazem a pergunta inevitável: como isso afetará minha vida? A resposta depende da profissão, da idade e do lugar onde se vive, entre muitos outros fatores.

No momento em que as negociações internacionais sobre o clima entrararam na reta final em Paris na COP21, veja alguns exemplos de situações hipotéticas em um futuro alterado pela mudança climática, quando a alta das temperaturas se aproximar do limite os 2ºC em relação à era pré-industrial, que, segundo especialistas, não podemos superar.

Advogado nos EUA
Você é um advogado de sucesso de 39 anos, vive na Flórida e é especializado no setor imobiliário. Bem sucedido, mas sua casa foi arrastada há três anos pelo furacão Hillary.

O nível do mar só subiu 14 cm em estos últimos 15 anos, mas Hillary provocou 500 bilhões de dólares em danos.
Já que os seguros federais americanos contra inundações foram suprimidos para bens situados a menos de um metro do nível do mar, seus clientes se multiplicaram.

Começam os processos contra as seguradores privadas que alegam estar em falência para não ter que pagar os seguros devidos. Seus clientes só vão cobrar 20 centavos por dólar assegurado, mas você continua cobrando honorários.

Hoteleiro nos Alpes
Você é proprietário de um hotel em uma estação de esqui nos Alpes franceses, a 1.280 metros de altitude.
A partir de 2020, a cada dois ou três anos você teve de fabricar neve para manter a temporada. Em 2020 e 2028 fez tanto calor que a medida não foi suficiente.

Como consolo, o turismo estival se desenvolveu graças às pessoas que fogem das ondas de calor que afetam regularmente a zona mediterrânea.

Cafeeiro na Nicarágua
Estamos em 2030. Você é proprietário de uma plantação de café na Nicarágua e vende todos os anos sua colheita a um atacadista.
A demanda mundial aumentou, os preços triplicaram, mas seus negócios não estão bem.
As altas temperaturas dizimaram sua produção, apesar de ter vendido suas terras em busca de altitudes mais elevadas, procurando um clima mais fresco. Os lucros caíram e também a qualidade de seus grãos.

Pescador na Indonésia
Há algum tempo, você era pescador do porto indonésio de Surabaya, mas está desempregado. A indústria local foi abatida durante os anos 2020.
A pesca intensiva dizimou a população de várias espécies, incluindo o patudo e o atum de barbatanas amarelas.
Devido ao aquecimento dos oceanos, outras variedades migraram para zonas mais frescas, mas estão fora de alcance dos barcos locais. Nenhuma espécie substituiu aquelas que você pescava.

Agricultor do Sahel
Há dez anos, você substituiu seu cultivo tradicional por grãos de sorgo geneticamente modificados, resistente à seca, para lidar com a desertificação que ganhou terreno no nordeste da região de Mopti, Mali.
Porém, o clima local está cada vez mais seco e você se pergunta quanto tempo vai poder resistir e seguir sustentando sua família.
Está decidido: quando as cabras morrerem, você irá se juntar aos demais camponeses que já fugiram para Bamako, a capital.

Vinicultor da Tasmânia
Uma parte da ilha australiana da Tasmânia rivaliza atualmente com os produtores espanhóis de La Rioja para a produção de variedades similares. O espumante da Tasmânia ganhou vários prêmios.

As exportações do vinho do vale de Tamar estão em pleno desenvolvimento, com as temperaturas que se tornaram ideais para a vinicultura. Em La Rioja está quente demais.

O futuro
Você é filho único de 7 anos e vive com seus pais, ambos profissionais que moram em um edifício de 22 andares em Xangai.
Nem sequer havia nascido quando os 195 países alcançaram um acordo em Paris em dezembro de 2015, prometendo reduzir a contaminação por gases de efeito estufa para manter sob controle as mudanças climáticas mundiais.

Mas todos os planos fracassaram e a Terra se encontra rumo a um aumento das temperaturas em 4°C até 2100. Você terá 77 anos, boa sorte!

Fonte: G1
Foto: Alain Jocard/AFP
Página anterior Próxima página