Ciência / Tecnologia: Capivari confirma cinco casos de gripe H1N1; pacientes passam bem

Capivari confirma cinco casos de gripe H1N1; pacientes passam bem



A Prefeitura de Capivari (SP) informou, nesta sexta-feira (20), que o município tem cinco casos de gripe H1N1. De acordo com a administração municipal, os registros foram confirmados pelos laudos do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. No total, desde janeiro, foram 15 notificações da doença na cidade. A Secretaria de Saúde ainda aguarda o resultado de oito exames.

Dos cinco pacientes com gripe H1N1, duas são mulheres com 58 e 35 anos, os outros três são homes com idades entre 42 e 64 anos. Nenhum deles está internado, segundo a administração, mas “passam por tratamento por meio de medicamentos e seguem orientações médicas”.

Nesta sexta-feira, o governo prorrogou a campanha de imunização em todo o estado até o dia 31 de maio. Na região, serão distribuídas mais 72.677 doses, mas a orientação do Ministério da Saúde é que sejam priorizados os municípios que ainda não vacinaram 80% do público-alvo.
A vacinação acontece em todos os postos de saúde de Capivari.

Piracicaba e Santa Bárbara
Na quinta-feira (19), a Vigilância Epidemiológica de Piracicaba (SP) confirmou a primeira morte por H1N1 no município. O resultado foi enviado pelo Instituto Adolfo Lutz. A paciente, uma mulher entre 50 e 59 anos, morava na região central da cidade e morreu em abril. Outros 14 casos investigados tiveram resultado positivo para o vírus, mas evoluíram para a cura, segundo a Secretaria de Saúde.

A Secretaria de Saúde afirmou que outras 67 notificações de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) estão em investigação e ainda dependem de confirmação laboratorial do Adolfo Lutz. "Entre esses registros, nove pacientes evoluíram para óbito", apontou a pasta.

Já na quarta-feira (18), a Prefeitura de Santa Bárbara também confirmou a primeira morte por H1N1 na cidade. A vítima é um idoso de 84 anos que morreu no dia 4 de abril. Ele estava internado em Americana (SP) e tinha doenças crônicas, de acordo com a administração municipal.

Vacinação
Na primeira etapa da campanha, foram vacinadas crianças de seis meses de idade até cinco anos incompletos, gestantes, mulheres que deram à luz há menos de 45 dias, idosos (com mais de 60 anos), indígenas e profissionais de hospitais e unidades de prontos-socorros públicos e privados ou Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Já a segunda etapa de vacinação começou no dia 9 de maio. Além do primeiro grupo, as doses também foram disponibilizadas para pessoas com doenças crônicas, os demais trabalhadores da saúde e os encarcerados.

Fonte: G1
Foto: A/D
Página anterior Próxima página